Faculdade Nova Esperança - brand

II Arraiá Libertador da Facene/Famene anima detentas na Penitenciária Júlia Maranhão

Cerca de 400 apenadas da Penitenciária Feminina Maria Júlia Maranhão, em João Pessoa, festejaram, na manhã da última quinta-feira (21), a segunda edição do “Arraiá Libertador”.

A atividade foi promovida pela direção da unidade prisional em parceria com as Faculdades de Enfermagem e de Medicina Nova Esperança (Facene/Famene) através do Projeto de Extensão “Discutindo Sobre Doenças em Busca da Libertação da Saúde”.

Na ocasião, foi montado no pátio do presídio um grande pavilhão, dando espaço à apresentação da quadrilha junina “Cheiro de Menina” liderada pelas presas, com direito ainda a trio de forró pé-de-serra, comidas típicas e sorteios de brindes.

A comemoração faz parte das atividades de ressocialização do sistema penitenciário, conforme relata a diretora da Penitenciária, Cinthya Almeida de Araújo. “Levar o São João para dentro da penitenciária é um momento de descontração para as reeducandas. Assim, elas podem se integrar ao movimento cultural que toma conta de todo Nordeste nesse período”.

As Faculdades de Enfermagem e de Medicina Nova Esperança (Facene/Famene), que realizam o Projeto de Extensão com as detentas, foram parceiras da festa. As instituições de ensino providenciaram as roupas utilizadas pelas apenadas na quadrilha, além das comidas típicas. Muitos vestidos foram reformados pelas próprias presidiárias, que pensaram em todos os detalhes da apresentação – inclusive o casamento encenado e a coroação da rainha do milho e do rei do sabugo.

O Projeto de Extensão desenvolvido pela Facene/Famene tem o objetivo de entreter às detentas com comemorações de datas (Dia das Mães, Páscoa, São João, Natal, etc…), bem como promover ações de prevenção à doenças através da realização de oficinas educativas.

A iniciativa das Faculdades Nova Esperança na unidade prisional, gera oportunidades únicas de aprendizado para os futuros profissionais da saúde. “A atividade desenvolvida aqui na penitenciária é muito rica, pois, agrega conhecimento e experiências, como por exemplo, de como abordar um paciente em um ambiente de encarceramento“, afirma a discente da Famene, Suzanne Almeida.

O Projeto Discutindo Sobre Doenças em Busca da Libertação da Saúde atende a cerca de 400 apenadas dos regimes fechado, semiaberto e aberto do Maria Júlia Maranhão e conta com a coordenação da profª. Esp. Danielli Aurília e colaboração da profª. Esp. Mikaela Madruga, além da participação de seis alunos, sendo dois da Famene e quatro da Facene.

Da Assessoria Facene, com Ascom-PB

[nggallery id=287]