Faculdade Nova Esperança - brand

Avaliação OSCE: exame afere habilidades e atitudes dos discentes da Famene

Os acadêmicos do 11º período da Faculdade de Medicina Nova Esperança (Famene) participaram nesta quarta-feira (08) de mais um exame promovido com base no método “Objective, Structured Clinical Examination (OSCE)”, também conhecido como “avaliação clínica objetivamente estruturada”ou avaliação objetiva e estruturada baseada em estações.

A atividade tem o objetivo de avaliar as habilidades e atitudes dos acadêmicos de medicina diante das possíveis situações encontradas no ambiente clínico. A avaliação tipo OSCE consiste em mensurar as competências de discentes em diversas e diferentes ocorrências ambulatoriais, em ambiente controlado que se processa em cabines denominadas “estações”. Em cada uma delas apresenta-se para o aluno casos clínicos e atividades ligadas à pediatria, saúde da família, saúde mental, clínica médica, saúde da mulher e cirurgia.

A OSCE, complementa avaliação realizada em sala de aula e nos campos de estágios, e juntas permitem revelar as competências dos alunos e não só o registro de apenas aspectos cognitivos.

Para o coordenador do Internato da Famene, o professor doutor Jorge Rene Garcia, esse tipo de avaliação favorece o acadêmico em dois aspectos. “O primeiro, preparar o discente da Instituição para as provas práticas de Residência Médica, já que a avaliação OSCE é desenhada nos moldes dos exames promovidos para ingresso na especialização, que vem sendo realizadas em diversas instituições do pais. O segundo, é que, ao se verificar no aluno eventuais problemas de condução do ato médico solicitado, este será auxiliado posteriormente pelo professor-avaliador da faculdade ao dar a devolutiva de seu desempenho”, destacou o docente.

A estrutura disponibilizada pela Instituição para esse tipo de exame é completa, ressaltou o professor. “A Famene é uma das poucas instituições de ensino médico no Brasil que dispõe de   espaço ‘ad hoc’, portanto, adequado e específico para avaliar as habilidades e atitudes dos acadêmicos de medicina”. Deve-se destacar, que este laboratório de atividades não é comum nas diversas faculdades de medicina pois ela demanda um grande esforço da instituição, uma vez que, além de toda a infraestrutura física desenhada para esta finalidade, é necessário o concurso de diversos participantes que incluem, manequins, professores, funcionários, pacientes atores além dos próprios alunos, os quais permanecem por várias horas “confinados” no ambiente enquanto se processa a avaliação.

De acordo com o acadêmico Christiano Fonseca, do P11, “esse exame favorece ao raciocínio, simula a situação do paciente e reproduz a realidade do cotidiano nos ambulatórios”.

A Famene, embora já promova este tipo de avaliação em vários períodos, pretende, agora, implantar esse tipo de avaliação desde o primeiro período do Curso de Medicina.

[nggallery id=455]