Faculdade Nova Esperança - brand

Nota de Falecimento

As Instituições de Ensino Nova Esperança (Cem, Facene e Famene) vêm com pesar informar a morte do escritor, teatrólogo e advogado Joacil de Britto Pereira. Homem das Artes e do Direito que foi homenageado ainda em vida pela Facene/Famene emprestando o seu nome a Biblioteca das Faculdades Nova Esperança. O velório estará acontecendo a partir das 10h, na Academia Paraibana de Letras, localizada na rua Duque Caxias, 25137, no centro.

[nggallery id=322]

Joacil de Britto Pereira: uma lição de vida

A Biblioteca “Joacil de Britto Pereira” recebeu o nome de um dos maiores escritores e teatrólogos da Paraíba. A homenagem, feita pela direção das Faculdades Nova Esperança, busca prestigiar e divulgar as ações desse importante homem das artes.

Joacil de Britto é uma pessoa simples, mas que escreveu com pulso forte uma grande história de fé e determinismo. No auge dos seus 85 anos, o presidente da Academia Paraibana de Letras (APL) é hoje um homem culto e bem sucedido, que divide a sua vida entre a Arte e o Direito; uma imagem que nem de longe lembra aquele menino de origem humilde que deixou o sertão do Rio Grande do Norte e veio tentar uma vida melhor em João Pessoa.

Natural de Caicó (RN), Joacil sempre foi conhecido como um grande idealista. Ao longo de mais de oito décadas de vida, ele escreveu as linhas de um currículo invejável: além de ser autor de mais de 40 obras literárias e diretor de peças de teatro, premiadas em âmbito nacional, ele ainda exerceu as funções de jornalista, deputado estadual e federal (por duas vezes seguidas), chefe da Casa Civil, secretário de Estado e professor universitário.

Em reconhecimento por todo esse trabalho prestado, Joacil já recebeu várias condecorações e títulos de cidadão da Paraíba e em seis cidades paraibanas. Até uma escola de ensino fundamental, instalada em João Pessoa, também foi batizada com o nome do escritor. Atualmente, apesar da idade, ele ainda exerce a advocacia e está entre os melhores advogados do Estado.

Mas chegar até aqui não foi missão fácil. Sentado na sala da APL, cercado pelos retratos dos escritores imortais, Joacil faz uma retrospectiva das fases mais importantes de sua vida.

Tinha apenas 12 anos quando veio morar em João Pessoa com os pais. Com o sonho de ser advogado, passou a estudar no Liceu Paraibano, onde conheceu escritores renomados, como Ariano Suassuna e Emiliano Borba. Apesar do desejo de seguir carreira jurídica, Joacil também era um apaixonado pelas Artes. Frequentava os teatros e assistia a vários espetáculos da cidade. Foi numa dessas visitas que surgiu a ideia de criar um “Teatro de Estudantes”. O projeto pioneiro em João Pessoa recebeu o apoio dos amigos e logo foi implantado no Liceu.

Apesar da pouca idade, Joacil representava personagens importantes e já demonstrava talento para as artes cênicas. Entre as peças de sua carreira estão: “A Opereta Cinderela”, “A Maldição da Carlota” e “Se o Anacleto Soubesse”. Mas a sua consagração veio em 1998, quando ele criou a peça “Olga Benário Prestes”. A produção, que foi apresentada em várias cidades da Paraíba, venceu em primeiro lugar no Concurso de Literatura de Pernambuco.

Nesse trabalho, é retratada a história de uma moça alemã que se apaixona pelo comunista brasileiro Luís Carlos Prestes, em plena guerra mundial. Apesar dos conflitos e dos inevitáveis problemas, os dois se casam e geram uma filha, Anita Leocádia Prestes, que vive até hoje no Rio de Janeiro. A forma como Joacil apresenta essa história comovente consegue encantar o público. E foi essa virtude que levou os jurados, em 1998, a elegerem “Olga Benário Prestes” como a melhor peça teatral do Brasil.

Mas o talento desse potiguar não fica restrito apenas ao teatro. Profundo admirador da literatura, Joacil já escreveu mais de 40 livros. Entre os mais importantes estão: “Um Homem e o Destino”, escrito em 2003, e “A Vida e o Tempo”, publicado em 1997. A grandeza do trabalho rendeu ao autor vários elogios, até de escritores renomados. Um deles foi Ascendino Leite, que afirmou: “A Vida e o Tempo” é a melhor obra de ficção científica dos últimos anos, que pode até servir para o cinema.

Em 2003, no aniversário de 80 anos, Joacil foi presenteado pelo livro: “Vitalidade e Paixão”, feito em sua homenagem, por amigos escritores. Ao longo de 140 páginas, eles revelam, com riqueza de detalhes, as qualidades do aniversariante.

Entre esses relatos está o do ex-prefeito de João Pessoa, Dorgival Terceiro Neto. Ele descreve Joacil como um homem forte e corajoso, que desde cedo já mostrava ter nascido para vencer. Em alguns trechos, Dorgival diz: “Joacil é bem dotado de inteligência e de audaciosa vocação para lutas a todo tempo e em qualquer terreno”.

Vida Política
Como político, Joacil de Britto Pereira ocupou cargos importantes. Foi por duas vezes deputado estadual da Paraíba e deputado federal, ficando no cargo de 1979 até 86. Teve boa atuação tanto na Assembléia Legislativa quanto na Câmara dos Deputados, sendo inclusive vice-líder do governo João Batista Figueiredo.

Amigo de políticos como José Américo, Argemiro de Figueiredo e Flávio Ribeiro Coutinho, Joacil lembra que participou da política numa época em que ela era feita por homens incensuráveis e que não deixavam a corrupção atingir níveis tão elevados como hoje.

“Os políticos daquele tempo eram mais éticos, não que hoje não exista mais homens éticos na política, não é isso. Mas naquele tempo, a política era feita por homens verdadeiros e moralizados”, assegura Joacil.

Para o presidente da APL, a descrença em Deus é a principal causa dessa falta de ética na política.
“A degeneração dos bons costumes é um fenômeno que vemos mais acentuadamente na política, mas ela existe em toda área da sociedade. Exemplo disso são os crimes chocantes que acontecem no mundo e que são praticados por homens sem Deus”, afirma.
Estudioso da Bíblia, Joacil vê com tristeza o aumento dos conflitos religiosos no mundo. Segundo ele, apesar das pessoas lutarem em nome de profetas e religiões, na verdade, essas guerras são causadas pela ausência do conhecimento da palavra de Deus.

“O que salva é a fé em Cristo. Os cristãos do mundo inteiro deveriam se unir para evitar a guerra religiosa”, declara.
Joacil é um homem de grandes funções: é jornalista, escritor, ensaísta, biógrafo, memorialista e historiador. Apesar de todas as conquistas do passado, ele dá mais uma lição de vida. Mesmo com sua idade, não abre mão do trabalho e ainda tem muitos sonhos a realizar. Um deles é publicar um livro de poesias. “Pretendo fazer isso em pouco tempo”, assegura.